Kepa, Cuadrado ou até Morata: em Inglaterra dizem que estes são os maiores flops da história do Chelsea

Guarda-redes: Kepa Arrizabalaga - O mais caro guarda-redes da história do futebol (80 milhões de euros) tem sido uma verdadeira caixinha de surpresas para os adeptos do Chelsea - e não são das boas. A iniciar a terceira temporada nos blues, Kepa já alinhou em 97 partidas mas não tem sido capaz de mostrar-se ao mais alto nível de forma regular. A exibição diante do Liverpool, realizada no domingo último, poderá ter sido a gota de água.
Lateral-direito: Cuadrado - Contratado em 2015 à Fiorentina por 31 milhões de euros, Juan Cuadrado esteve longe de deixar saudades aos adeptos dos blues. Mal chegou a Stamford Bridge foi emprestado à Juventus, clube para o qual se transferiu a título definitivo em 2017, por 20 milhões de euros. Pela 'Vecchia Signora' soma 182 jogos, tendo marcado 18 golos. No Chelsea disputou... 15 partidas.
Defesa-central: Djilobodji - Igualmente contratado em 2015, este internacional pelo Senegal chegou ao Chelsea proveniente dos franceses do Nantes por 3 milhões de euros. A sua passagem por Stamford Bridge foi tão fugaz que só foi a tempo de alinhar um minuto pelo clube.
Defesa-central: Tal Ben Haim - 23 jogos chegaram para os responsáveis e adeptos do Chelsea perceberem que o futuro deste central isrealita, internacional pela seleção principal do seu país em 96 ocasiões, não iria passar por Stamford Bridge. Ainda assim, a sua venda ao Manchester City, em 2008, rendeu 6.4 milhões de euros aos cofres dos blues... nada mal.
Lateral-esquerdo: Abdul Rahman Baba - O termo 'flop' pode parecer exagerado às vezes, mas neste específico caso assenta que nem uma luva. Internacional ganês por 25 vezes, Abdul Rahman Baba chegou ao Chelsea em 2015 proveniente Augsburgo num negócio que custou 20 milhões de euros aos blues. Desde então, o lateral-esquerdo tem sido constantemente emprestado. Na última temporada representou os espanhóis do Maiorca.
Médio-defensivo: Bakayoko - Em 2017, o internacional francês mudou-se do Monaco para o Chelsea por 40 milhões de euros. Desde então, só foi opção na época de chegada - muito provavelmente pelos valores do negócio - tendo alinhado em 43 jogos e marcado 3 golos. Na última temporada, esteve cedido aos monegascos com a esperança de recuperar o brilho na carreira.
Médio-centro: Drinkwater - Uma das figuras do título inédito do Leicester City na Premier League, mas sem conseguir dar continuidade ao excelente trabalho desempenhado nos foxes. Saiu para o Chelsea em 2017, por uma verba a rondar os 38 milhões de euros, e até ao momento só alinhou em 23 partidas. Conta com empréstimos a Burnley e Aston Villa.
Médio-centro: Verón - Figura na seleção da Argentina mas sem sucesso na passagem por Londres. Pelo Chelsea alinhou em apenas 14 partidas, tendo marcado um golo. Custou 21, 5 milhões de euros.
Avançado: Álvaro Morata - Chegamos ao trio ofensivo. Brilhou na Juventus e no Real Madrid antes de mudar-se para o Chelsea, em 2017. Pelos blues alinhou em 72 partidas, tendo apontado 24 golos. Os números não são horríveis, mas seria de se esperar mais de um jogador que custou... 66 milhões de euros.
Avançado: Fernando Torres - Foi figura no Liverpool e no Atlético Madrid, mas Stamford Bridge não foi o seu palco favorito. Pelos blues alinhou em 172 jogos e marcou 45 golos, números que não justificaram os quase 60 milhões investidos pelos blues na sua transferência.
Avançado: Shevchenko - Uma figura para o seu país (Ucrânia), do Dínamo Kiev e também da Milan. Falhou, lá está, na passagem pelo Chelsea. Contratado em 2006 pelos blues, num negócio a rondar os 44 milhões de euros, chegou a disputar 77 jogos pelo clube londrino, marcando 22 golos. Londres foi a malapata.
Guarda-redes: Kepa Arrizabalaga - O mais caro guarda-redes da história do futebol (80 milhões de euros) tem sido uma verdadeira caixinha de surpresas para os adeptos do Chelsea - e não são das boas. A iniciar a terceira temporada nos blues, Kepa já alinhou em 97 partidas mas não tem sido capaz de mostrar-se ao mais alto nível de forma regular. A exibição diante do Liverpool, realizada no domingo último, poderá ter sido a gota de água.
Lateral-direito: Cuadrado - Contratado em 2015 à Fiorentina por 31 milhões de euros, Juan Cuadrado esteve longe de deixar saudades aos adeptos dos blues. Mal chegou a Stamford Bridge foi emprestado à Juventus, clube para o qual se transferiu a título definitivo em 2017, por 20 milhões de euros. Pela 'Vecchia Signora' soma 182 jogos, tendo marcado 18 golos. No Chelsea disputou... 15 partidas.
Defesa-central: Djilobodji - Igualmente contratado em 2015, este internacional pelo Senegal chegou ao Chelsea proveniente dos franceses do Nantes por 3 milhões de euros. A sua passagem por Stamford Bridge foi tão fugaz que só foi a tempo de alinhar um minuto pelo clube.
Defesa-central: Tal Ben Haim - 23 jogos chegaram para os responsáveis e adeptos do Chelsea perceberem que o futuro deste central isrealita, internacional pela seleção principal do seu país em 96 ocasiões, não iria passar por Stamford Bridge. Ainda assim, a sua venda ao Manchester City, em 2008, rendeu 6.4 milhões de euros aos cofres dos blues... nada mal.
Lateral-esquerdo: Abdul Rahman Baba - O termo 'flop' pode parecer exagerado às vezes, mas neste específico caso assenta que nem uma luva. Internacional ganês por 25 vezes, Abdul Rahman Baba chegou ao Chelsea em 2015 proveniente Augsburgo num negócio que custou 20 milhões de euros aos blues. Desde então, o lateral-esquerdo tem sido constantemente emprestado. Na última temporada representou os espanhóis do Maiorca.
Médio-defensivo: Bakayoko - Em 2017, o internacional francês mudou-se do Monaco para o Chelsea por 40 milhões de euros. Desde então, só foi opção na época de chegada - muito provavelmente pelos valores do negócio - tendo alinhado em 43 jogos e marcado 3 golos. Na última temporada, esteve cedido aos monegascos com a esperança de recuperar o brilho na carreira.
Médio-centro: Drinkwater - Uma das figuras do título inédito do Leicester City na Premier League, mas sem conseguir dar continuidade ao excelente trabalho desempenhado nos foxes. Saiu para o Chelsea em 2017, por uma verba a rondar os 38 milhões de euros, e até ao momento só alinhou em 23 partidas. Conta com empréstimos a Burnley e Aston Villa.
Médio-centro: Verón - Figura na seleção da Argentina mas sem sucesso na passagem por Londres. Pelo Chelsea alinhou em apenas 14 partidas, tendo marcado um golo. Custou 21, 5 milhões de euros.
Avançado: Álvaro Morata - Chegamos ao trio ofensivo. Brilhou na Juventus e no Real Madrid antes de mudar-se para o Chelsea, em 2017. Pelos blues alinhou em 72 partidas, tendo apontado 24 golos. Os números não são horríveis, mas seria de se esperar mais de um jogador que custou... 66 milhões de euros.
Avançado: Fernando Torres - Foi figura no Liverpool e no Atlético Madrid, mas Stamford Bridge não foi o seu palco favorito. Pelos blues alinhou em 172 jogos e marcou 45 golos, números que não justificaram os quase 60 milhões investidos pelos blues na sua transferência.
Avançado: Shevchenko - Uma figura para o seu país (Ucrânia), do Dínamo Kiev e também da Milan. Falhou, lá está, na passagem pelo Chelsea. Contratado em 2006 pelos blues, num negócio a rondar os 44 milhões de euros, chegou a disputar 77 jogos pelo clube londrino, marcando 22 golos. Londres foi a malapata.
Guarda-redes: Kepa Arrizabalaga - O mais caro guarda-redes da história do futebol (80 milhões de euros) tem sido uma verdadeira caixinha de surpresas para os adeptos do Chelsea - e não são das boas. A iniciar a terceira temporada nos blues, Kepa já alinhou em 97 partidas mas não tem sido capaz de mostrar-se ao mais alto nível de forma regular. A exibição diante do Liverpool, realizada no domingo último, poderá ter sido a gota de água.
Lateral-direito: Cuadrado - Contratado em 2015 à Fiorentina por 31 milhões de euros, Juan Cuadrado esteve longe de deixar saudades aos adeptos dos blues. Mal chegou a Stamford Bridge foi emprestado à Juventus, clube para o qual se transferiu a título definitivo em 2017, por 20 milhões de euros. Pela 'Vecchia Signora' soma 182 jogos, tendo marcado 18 golos. No Chelsea disputou... 15 partidas.
Defesa-central: Djilobodji - Igualmente contratado em 2015, este internacional pelo Senegal chegou ao Chelsea proveniente dos franceses do Nantes por 3 milhões de euros. A sua passagem por Stamford Bridge foi tão fugaz que só foi a tempo de alinhar um minuto pelo clube.
Defesa-central: Tal Ben Haim - 23 jogos chegaram para os responsáveis e adeptos do Chelsea perceberem que o futuro deste central isrealita, internacional pela seleção principal do seu país em 96 ocasiões, não iria passar por Stamford Bridge. Ainda assim, a sua venda ao Manchester City, em 2008, rendeu 6.4 milhões de euros aos cofres dos blues... nada mal.
Lateral-esquerdo: Abdul Rahman Baba - O termo 'flop' pode parecer exagerado às vezes, mas neste específico caso assenta que nem uma luva. Internacional ganês por 25 vezes, Abdul Rahman Baba chegou ao Chelsea em 2015 proveniente Augsburgo num negócio que custou 20 milhões de euros aos blues. Desde então, o lateral-esquerdo tem sido constantemente emprestado. Na última temporada representou os espanhóis do Maiorca.
Médio-defensivo: Bakayoko - Em 2017, o internacional francês mudou-se do Monaco para o Chelsea por 40 milhões de euros. Desde então, só foi opção na época de chegada - muito provavelmente pelos valores do negócio - tendo alinhado em 43 jogos e marcado 3 golos. Na última temporada, esteve cedido aos monegascos com a esperança de recuperar o brilho na carreira.
Médio-centro: Drinkwater - Uma das figuras do título inédito do Leicester City na Premier League, mas sem conseguir dar continuidade ao excelente trabalho desempenhado nos foxes. Saiu para o Chelsea em 2017, por uma verba a rondar os 38 milhões de euros, e até ao momento só alinhou em 23 partidas. Conta com empréstimos a Burnley e Aston Villa.
Médio-centro: Verón - Figura na seleção da Argentina mas sem sucesso na passagem por Londres. Pelo Chelsea alinhou em apenas 14 partidas, tendo marcado um golo. Custou 21, 5 milhões de euros.
Avançado: Álvaro Morata - Chegamos ao trio ofensivo. Brilhou na Juventus e no Real Madrid antes de mudar-se para o Chelsea, em 2017. Pelos blues alinhou em 72 partidas, tendo apontado 24 golos. Os números não são horríveis, mas seria de se esperar mais de um jogador que custou... 66 milhões de euros.
Avançado: Fernando Torres - Foi figura no Liverpool e no Atlético Madrid, mas Stamford Bridge não foi o seu palco favorito. Pelos blues alinhou em 172 jogos e marcou 45 golos, números que não justificaram os quase 60 milhões investidos pelos blues na sua transferência.
Avançado: Shevchenko - Uma figura para o seu país (Ucrânia), do Dínamo Kiev e também da Milan. Falhou, lá está, na passagem pelo Chelsea. Contratado em 2006 pelos blues, num negócio a rondar os 44 milhões de euros, chegou a disputar 77 jogos pelo clube londrino, marcando 22 golos. Londres foi a malapata.
Talvez Londres tenha sido a malapata destes jogadores. Foram várias as centenas de milhões gastas nestas transferências e todas elas sem grandes resultados para o clube. O sucesso esteve sempre presente nas suas carreiras, mas quando chegaram a Stamford Bridge ficou à porta. Eis aquele que a imprensa inglesa aponta como sendo o pior onze da história do Chelsea. [Imagens: Reuters e Action Images]
2
Deixe o seu comentário

Pub

Publicidade
2
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias

Fotogalerias

Fotogalerias

Sporting

Fotogalerias

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.