Record

WRC: A mais acesa luta pelo título dos últimos anos

Neuville, Tänak e Ogier separados por 23 pontos a três provas do final da época

Restam apenas três eventos para a conclusão da temporada de 2018 do Mundial de Ralis e ainda está tudo em aberto. E de que maneira! Esta é a luta pelo título de campeão mundial mais renhida dos últimos anos, desde que o atual sistema pontual entrou em vigor no WRC. E são três os pilotos que podem levantar o troféu de campeão: Thierry Neuville, Ott Tänak e Sébastien Ogier. Até há bem pouco tempo, diga-se, eram dois os legítimos aspirantes ao título, agora são três e esse é um dos mais marcantes capítulos desta temporada. Mas já lá vamos. Para já, as contas.

Neuville soma 177 pontos, Tänak 164 e Ogier 154. Uma diferença de 23 pontos a separar o primeiro do terceiro, 13 entre o duo da frente. Coisa pouca se atendermos ao facto de uma vitória numa prova valer 25 pontos. Esta é a distância mais curta entre os primeiros classificados do campeonato de pilotos a três provas do final desde que o atual sistema pontual foi instaurado pela FIA, em 2011. E foi logo nesse ano que 29 pontos separaram Sébastien Ogier do outro Sébastien, o Loëb, e ainda com Mikko Hirvonen pelo meio, a 15 pontos do líder Loëb, que veio a sagrar-se campeão.

No período homólogo de 2017, Ogier tinha 17 pontos sobre Neuville e 33 em relação a Tänak. Isto depois de quatro anos (entre 2013 e 2016) em que o domínio de Ogier e da Volkswagen foi claro e sem direito a contestação. Também por isso o campeonato de 2018 tornou-se especialmente empolgante e, agora, imprevisível.

"Temos os pés bem assentes no chão. Somos agora três candidatos, profundamente envolvidos na luta. Vai ser interessante e oxalá o melhor possa vencer", afirmou Thierry Neuville, ao veículos de comunicação do WRC. A perseguição ao belga da Hyundai está a ser feita por Tänak: "É muito bom estar na luta pelo título, mas ainda falta um longo caminho e temos de estar focados. Agora tudo é possível no campeonato e estou com boas sensações para a Grã-Bretanha." Quem parte atrás para esta fase final da época é Ogier, que procura o… sexto título consecutivo! "O Ott está a fazer um grande campeonato. Será, definitivamente, uma luta entre nós os três pelo título", disse o francês que vai sair da M-Sport Ford no final da época.

O campeão de 2018 será conhecido em breve, sendo que restam no calendário os ralis da Grã-Bretanha, Espanha e Austrália. O primeiro é já a partir desta quinta-feira, no País de Gales, um evento tradicionalmente muito complicado e imprevisível, sobretudo devido às condições climatéricas habitualmente instáveis na Grã-Bretanha e que tornam, muitas vezes, ainda mais difícil o papel das equipas e, claro, dos pilotos.

Sprint de Tänak e da… Toyota

Esta corrida pelo título passou de dois para três candidatos graças ao sprint de Ott Tänak, vencedor dos três últimos eventos do calendário (Finlândia, Alemanha e Turquia). Uma notável recuperação do estónio da Toyota que relançou ainda mais a luta. Mas convém lembrar que as prestações desastrosas de Ogier e Neuville na Turquia também contribuíram para este panorama atual.

Mas Ott Tanäk não cresceu sozinho. A Toyota, que regressou ao mundial de ralis apenas no ano passado, beneficiou da dobradinha na Turquia (Tanäk e Latvala nos dois primeiros lugares do pódio) para saltar para a frente do campeonato de construtores, tendo agora escassos 5 pontos de vantagem sobre a Hyundai, 40 sobre a M-Sport Ford e… 115 sobre a Citroën. A marca francesa está a ter uma época para esquecer, mas já está particularmente focada em 2019, como comprova a contratação já oficializada de Sébastien Ogier, que regressa à casa onde começou no WRC.

O Rali do País de Gales arranca ao final da tarde desta quinta-feira, com a super-especial de abertura. O evento tem um total de 23 classificativas e só termina no próximo domingo.
Por André Gonçalves
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Ralis

Notícias

Notícias Mais Vistas

M M