Record

Do Bayern Munique aos distritais: Dale Jennings tenta reerguer-se após leucemia da filha

Extremo com carreira marcada por lesões procura voltar ao topo... a partir do 9.º escalão inglês

Jennings em ação no Barnsley
Jennings em ação no Barnsley • Foto: Getty Images
"Nada mais me interessava, todo o meu mundo girava em torno da minha filha". As palavras são de Dale Jennings, um futebolista inglês que já esteve no Bayern de Munique e que depois de uma pagarem, e que se dedicou à pequena Mila, a quem foi diagnosticada uma leucemia, tenta agora reerguer-se.

Mas está a começar de baixo. Bem de baixo. Joga no Runcorn Town, na North West Counties League, o equivalente ao 9.º escalão em Inglaterra. No último fim-de-semana marcou um golo.

Jennings era um promissor extremo Tranmere Rovers (League One, a 3.ª Divisão), de apenas 18 anos, que já tinha chamado a atenção do West Ham e do Everton. Um dia o treinador chamou-o à parte e disse-lhe: "O Bayern Munique quer contratar-te".

"Nunca ninguém tinha ido do Tranmere para o Bayern Munique. E eu fui, na expectativa de ver como as coisas corriam", conta o jogador, à BBC.

Só que a língua e uma lesão impediram-no de chegar à equipa principal dos bávaros. "Tentei aprender alemão, lutei durante 6 meses... Penso que isso acabou por afetar a minha forma de jogar porque acho que a dada altura tornou-se obsessivo e não conseguia concentrar-me no futebol."

Um ano e meio depois foi cedido ao Barnsley, do Championship. Mas uma lesão atirou-o ainda mais para baixo, para o Milton Keynes Dons, da 3ª divisão. E uma nova lesão, esta bem mais grave, num joelho, deixou-o 6 meses sem jogar. Acabou por sair do clube.

"Não há sentimento pior no mundo do que ter de ficar à parte, a ver os colegas a treinar. Para mim foi demolidor. De cada vez que pensava que estava ficar em forma, acontecia alguma coisa que me puxava para trás", lembrou, tristemente.

Jennings estava sem clube quando a filha, de apenas 4 anos, foi diagnosticada com leucemia, em 2017. "Mentalmente foi arrasador. Nada mais me interessava, eu só queria estar ao pé dela 24 horas por dia, sete dias por semana. O futebol era a última das minhas prioridades...", recorda.

A pequena Mila submeteu-se a 14 meses de tratamentos e quando o médico informou a família que a criança teria superado a doença, Jennings reuniu a namorada, os filhos e todos os que lhe são mais próximos, comunicando-lhes que tinha decidido voltar aos relvados.

"A nossa luta foi longa, mas depois de recebermos notícias tão boas pensei para comigo, 'é agora'! Tenho de voltar. Estas notícias que recebemos do médico colocaram tudo sob uma nova perspetiva e eu decidi voltar a sair de casa, enfrentar o mundo e trabalhar. Temos de nos sacrificar, principalmente quando temos filhos pequenos, e eu decidir começar de novo, do fundo. Sinto que ainda tenho muito para dar ao futebol."

O jogador, de 25 anos, diz que aprendeu as lições que a vida lhe deu e está disposto começar do zero, no Runcorn. "Aprendi com os meus erros", garante.

Sábado a equipa vai defrontar o Guisborough Town na FA Vase (uma competição destinada a equipas que jogam abaixo da 4ª divisão) e na bancada vai ter os três filhos: Mila, de quatro anos, Meadow, de dois, e Noah, de 1. "Eles estão ansiosos por me ver a jogar, vai ser bom ter o apoio deles."



Deixe o seu comentário
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Inglaterra

Notícias

Notícias Mais Vistas